O Eu e os Outros – Caminhos de Transmutação
Maio 31, 2019
Solestício de Verão
Junho 21, 2019
Show all

Sol em Caranguejo

“Eu sinto” é a frase chave do 4º signo do Zodíaco. Signo cardeal de Água, é o signo do nascimento, da geração e do impulso para a manifestação. Tem a Lua como regente ao nível da personalidade. Princípio de protecção, procura ver supridas as necessidades de segurança e de pertença.

Caranguejo fala do lar e da vida em família, da hereditariedade e da ancestralidade, das raízes psicológicas e da vida privada. Vive muito centrado nos seus sentimentos e afectos e é a partir deles que responde à vida. Recolhe-se quando se sente emocionalmente ameaçado. Tem dificuldade em separar o que sente daquilo que pensa, é sensível aos estados de espírito e absorve o que se passa à sua volta sem que tenha consciência disso. Aparenta alguma indefinição, tem uma forma evasiva de vaguear pela vida, o que lhe permite esconder a timidez, mas também um meio de evitar lidar com assuntos que precisem ser encarados. A sua maior necessidade é encontrar um centro a partir do qual possa funcionar com estabilidade.
Representa também a consciência das massas, instintiva e baseada no desejo e nas respostas automáticas à vida da forma.

Algumas características positivas: Intuitivo, tenaz, sensível, leal, hospitaleiro, maternal, com uma grande capacidade de proteger, nutrir e ajudar os outros. Devota-se amorosamente aos “seus”. Imaginativo e com sentido de humor. Tem boa memória para tudo o que envolva sentimentos.

Desequilibrado: Melindra-se e amua com facilidade, tem dificuldade em largar, acumulador, negativo, pessimista, defensivo e astuto. Não esquece o passado e não quer deixar que os outros o façam. Tem necessidade de ser necessário. Precisa ser o alvo da atenção daqueles que ama ou sentir-se-á infeliz. Por vezes, não se apercebe do quão egoísta e auto-centrado pode ser.

Quando a Lua, a Mãe de Todas as Formas, se liberta dos seus medos e apegos, cede lugar a Neptuno, o Deus das Águas (regente de Caranguejo ao nível da Alma). Deixaremos de ser reactivos às emoções da personalidade, expressas através da dor e do prazer, e passaremos então a ter uma consciência devotada, amorosa e inclusiva pela Humanidade.

 
 
 
Junho, 2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.